Resenha: The Choices I've Made, J.L. Berg

07 outubro 2017


A morte é fácil.

Sobrevivê-la? Essa é a parte difícil.

Dr. Jake Jameson sabe disso mais do que ninguém. Após perder sua mãe aos 18 anos, ele deixa sua cidade natal e as dolorosas memórias que ela guarda, jurando nunca mais voltar.

Doze anos depois, ele se vê dirigindo pela costa de Carolina do Norte. Quando seu pai lhe deixa um pequeno consultório médico, ele não tem escolha a não ser aceitá-lo até encontrar alguém que o tire de suas mãos.

Mas voltar para casa significa enfrentar tudo que ele deixou para trás, incluindo a única mulher que provavelmente tornará impossível que ela vá embora novamente.

Molly McIntyre passou toda sua vida em uma única cidade. Responsável pela pequena pousada de seus pais, ela tem uma vida calma e feliz. Mas tudo isso para abruptamente quando Jake aparece em sua porta precisando de um lugar para ficar.

Molly odeia tudo nesse homem, mas não consegue recusar seu pedido.

Após mais de uma década, os anteriormente apaixonados descobrem rapidamente que o que, no passado, queimava dentro deles, só aumentou durante o tempo que passaram separados. Logo eles precisam decidir se as escolhas que eles fizeram os guiaram de volta para o outro para uma segunda chance ou para o último adeus.






The Choices I've Made é o novo romance de J.L. Berg e conta a história do casal Molly e Jake. Residentes na ilha de Ocracoke, Carolina do Norte, ambos se conheceram quando crianças, e desde sempre estiveram juntos. Molly é filha dos donos da única pousada da ilha e o pai de Jake é o médico local.

Viver em Ocracoke é viver literalmente ilhado. Com as mesmas características de uma cidade pequena, o único transporte disponível para sair da ilha e ir para uma cidade próxima é a barca. Todos os anos a população da ilha recebe milhares de turistas, e muitos moradores locais não se imaginam vivendo fora dela, como é o caso de Molly que, ao contrário de Jake, sonha em um dia comandar a pousada de seus pais.

Jakey e Mols são amigos de infância e apaixonados desde então. Sempre planejaram suas vidas pensando um no outro, até o momento que Jake deixa a ilha após a morte de sua mãe, principalmente porque o relacionamento com seu pai não é dos melhores e torna-se impossível para ele conviver com isso. Jake abandona tudo sem olhar para trás: casa, amigos, lembranças, Molly. Jake passa doze anos fora. Doze anos sem entrar em contato com ninguém além de seu pai. E em doze anos é de se imaginar que muita coisa mudou. Jake já não é mais aquele adolescente que Molly um dia conheceu. Após doze anos de sua partida, ele agora é um renomado cirurgião em Chicago, prestes a ocupar o cargo de chefe de cirurgia em um hospital da cidade. Mas os planos do rapaz são pausados por tempo indeterminado quando ele recebe uma ligação e é obrigado a voltar para Ocracoke. Jake vai, sem alimentar a menor intenção de ficar. Ele vai resolver o que tiver que ser resolvido e retornará para sua casa e sua carreira.
"Fazer amor sob as estrelas é épico demais."
"Tudo com você é épico."
Após a partida de Jake anos atrás, Molly aprendeu a viver. Viveu um dia de casa vez, dedicou-se a gerenciar a pousada da família e há dois anos é noiva de Dean. Fazia tudo sozinha, nunca pedia ajuda a ninguém e não admitia falhas em seu trabalho. Apesar de tudo, achava que finalmente a vida havia entrado nos eixos até o momento em que encontrou o amor de sua vida pela primeira vez em mais de uma década em um momento de dor, desespero e suspense para todos da ilha. Deste dia em diante, viver em Ocracoke torna-se uma tarefa árdua para Molly e Jake. 

Com uma história leve, sem muitas surpresas, mas super gostosa de ser lida, Berg retrata um Jake ainda machucado, temeroso e inconformado com a morte de sua mãe. Quanto a Molly, vemos nela uma mulher forte, mas que não se deixa ser ajudada, sempre muito dura com si mesma. É muito bacana ver a evolução dos personagens e torcer pelos dois; para que eles encontrem um jeito que faça funcionar de uma vez o que sentem um pelo outro. 

Esta foi a primeira vez que li um livro da autora e amei o tratamento dado aos personagens, curti demais o fato da história ter lugar em uma ilha habitada e gostei de ver que independente de tudo, Jake e Molly ainda são braços direito um do outro.
© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por