Resenha: Princesa de Papel, Erin Watt

07 julho 2017

Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo.



Paper Princess ou Princesa Papel foi um sucesso nos Estados Unidos no ano passado e quando eu comecei a ler esperava algo completamente diferente, levando em conta que ele foi classificado como young adult. Mas me surpreendi em ver que ele poderia facilmente ser considerado new adult. Isso tem acontecido muito nos dias de hoje. Parece que as editoras não querem que o new adult seja um gênero, mas o fato é que ele é.

Mas, voltando a resenha...

Princesa Papel narra a história de Ella Harper, uma jovem órfã e que precisa dar um rumo a sua vida e, para sobreviver, acaba fazendo striptease. Além de arcar com as despesas mais básicas, como alimentação, por exemplo, Ella quer, acima de tudo, estudar. Até que certo dia somos apresentados a Callum Royal, um moço que faz com que a vida da nossa querida Ella vire de pernas para o ar. 

Callum é como um tutor para a moça e acaba abrindo as portas de sua mansão para ela. Mas o que ela não esperava era que fosse dar de cara com cinco boys-magia Royal, um mais bonito do que outro, apesar da jovem só ter olhos para um deles. O problema é que o seu interesse não é correspondido e Reed não a quer de maneira alguma próxima de sua família. 

Será que ele em algum momento dará o braço a torcer? Será que nós, leitores, veremos um Reed interessado e atraído pela nossa protagonista?

Não pensem que essa é mais uma historia clichê. Pelo contrário, este livro trouxe algo muito inovador que nos prende do inicio ao fim. Parece até aquelas colas maravilhosas que gruda tudo, sabe? E parafraseando a sinopse inglesa: Os Royals vão arruinar você. Então, prepare-se  porque eles vão mesmo te arruinar, a ponto de não deixar você dormir enquanto não terminar a leitura. Para você ter uma noção, eu comecei a ler às 23h e só não terminei no mesmo noite porque tinha que ir trabalhar no dia seguinte.

Se você é fã de new adult não deixe de ler Princesa de Papel. Você não vai ser arrepender nem um pouquinho. Só recomendo que tenha o segundo volume da série em mãos, porque você vai ficar sedento por respostas. 


© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por