Resenha : Querida Sue

02 maio 2014






Há tempo não termino um livro e venho logo escrever a Resenha. Tempos de correria e muito trabalho, mas hoje feriado fui agraciada com essa possibilidade. 
E estou muito feliz em poder escrever envolta pelo sentimentos de esperança, amor, nostalgia , e muitos outros sentimentos que esta leitura me proporcionou. 

A audaciosa protagonista Elspeth Dunn  sem dúvida me fez olhar para mim mesma e ver tamanha ousadia em determinadas situações e em outras falta de ação e atitude que nos fez(sim, eu em algum momento da vida e ela nesta maravilhosa história) encontrarmos o caos!!!


   
  • Tradução Vera Ribeiro
  • Páginas 256
  • Formato 16 x 23 cm
  • Peso 290 g
  • Acabamento brochura
  • Lançamento 14/04/2014
  • Sinopse

    A história mais romântica do ano.” – Marie Claire.it “Um amor mais forte do que o tempo e a distância. Um romance à moda antiga, que sobrevive à separação e aos dramas da vida. Um candidato a fenômeno editorial.” – 

    Mediaset.it Março de 1912: Elspeth Dunn, uma poetisa de 24 anos, nunca viu o mundo além de sua casa na remota Ilha de Skye, na Escócia. Por isso fica empolgada ao receber a primeira carta de um fã, David Graham, um estudante universitário da distante América. Os dois começam a trocar correspondências – compartilhando os segredos mais íntimos, os maiores desejos e os livros favoritos – e fazem florescer uma amizade que, com o passar do tempo, se torna amor. Porém a Primeira Guerra Mundial toma a Europa e David se oferece como voluntário, deixando Elspeth em Skye com nada além de esperanças de que ele sobreviva. 

    Fonte: Editora Arqueiro 




    Terapiando ...


    Uma mulher, destemida e vista como fora dos padrões na época já que o seu melhor era escrever poemas e não fazer um exímio bolo de marzipan. 

    Enfim , Elspeth não se importa muito, a prova disso e que sua ousadia levou seus poemas  para além da pequena Ilha de  Skye na Escócia e eles chegaram até a América, até ao ousado  David Graham que encantado com os poemas que lhe faziam a mente descansar entre os estudos  ou no caso em questão no hospital onde se encontrava ... Sendo assim resolveu escrever para a poetisa e dizer o quanto admirou seu livro. 

    Este pequeno gesto de escrever uma carta para alguém que não se conhece quebrava o protocolo de boas maneiras, mas de longe já víamos nas palavras soltas deste rapaz que os protocolos não eram muito o seu forte  Esse gesto, esse ato desencadeou uma enxurrada de acontecimentos e uma enxurrada de cartas. 

    Cartas essas que contam toda a história deste casal , que aos poucos vira um trio e muitas questões familiares veem a tona e para completar temos  A Primeira Guerra Mundial como uma mordaz vilã que fazem dos acontecimentos terem uma intensidade ainda maior diante da  possibilidade instável de sobreviver a qualquer custo à Guerra e ao Amor. 

    Com poucas páginas já me vejo absorta e aiiiii nos encontramos em 1940 com a filha de Elspeth, a Margaret  que é uma menina impulsiva e cheia de atitude que sem dúvida tem muito de sua mãe e sem saber tem muito de seu pai também ... E é justamente essa a questão. Suas raríssimas desavenças com sua mãe são sobre o seu passado e sobre seu pai. 

    Margaret está apaixonada por Paul e sua mãe , não se mostra satisfeita... Algo lhe incomoda mas como sempre Margaret não sabe o que aflige tanto sua mãe. Não pode ser somente a nova Guerra que se inicia tem algo a mais!!!


    " ... Devia ter lhe contado. Devia tê-la ensinado a proteger seu coração. Ensinado que uma carta nem sempre é apenas uma carta. ... "
    Pág. 18


    " Não se pode acreditar em nada do que é dito em tempos de guerra. As emoções são tão fugazes quanto as noites serenas. "
    Pág 33 



    Diante de palavras de tamanho impacto e a ausência repentina de sua mãe sem notícias.... Margart se vê tendo a oportunidade de encontrar todas as suas respostas, ir atrás da família ,tios ,avós , primas que ela nunca teve presente e assim descobrir o motivo central da inquietude de sua mãe. 

    Ai ai ...   Sim, me apaixonei, chorei e me desesperei com as cartas trocadas por este casal entre o período de 1912 a 1916. E também com as cartas trocadas entre os familiares , as viagens de Margaret e suas carta para seu amado Paul. 

    Esse fluxo intenso de lugares, viagens , cartas  e as datas nos deixam tão próximos dos personagens que é como se estivéssemos com as próprias cartas em mãos lendo cada uma delas e sentindo na pela cada emoção em esperar a próxima carta chegar dos correios. 

    E você ai .... Ficou curioso sobre estas belas cartas? Por esse trio quase indefinido dessa história? Como foi o para sempre ou se o para sempre aconteceu? Se Margaret enfim encontrou suas respostas? AHHHHH E um dos melhores porquês .... Por que Querida Sue ???

    Vá se entregue... a está leitura!!!!

    Me entreguei de corpo e alma e foi uma belíssima e adorável leitura... Obrigada a querida Editora Arqueiro, mais uma vez um livro digno de muitos elogios!!!  



    Um pouco da Ilha de Skye que me interessou tanto pelo seu lado mítico , sempre mencionado pela querida personagem Espleth Dunn. 



    Glen Brittle, Escócia


    Glen Brittle é um vale grande no sul da ilha de Skye, na Escócia. As piscinas de fadas mágicas que você vê na imagem partem das montanhas para o vale. A área é extremamente popular entre os caminhantes e ciclistas de montanha. As encostas maravilhosas lilás acima das Piscinas de fadas são cobertos com espessas florestas cheias de plantas e animais raros e quem sabe, talvez até mesmo os elfos e fadas têm encontrado o seu refúgio neste lugar místico. 






    Enfim existe uma Ponte em Skye se issó fosse no século XXIX teria ajudado muito nossa mocinha de Querida Sue 

    Quem ler ou leu vai entender ;) 



    Fonte da Imagem: Passeando pela Vida 



    Bjks 


    © LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por