COLUNA RAFFA FUSTAGNO - RESENHA DE "LOVE" DE STEPHEN KING

08 janeiro 2013

Título original: Lisey´s Story
Título no Brasil: Love - a história de Lisey
Editora: Objetiva 
Edição : Pocket - Ponto de Leitura
Autor: Stephen King
Número de páginas: 675    






Definitivamente não é meu livro favorito de King e posso dizer que até pensei em abandoná-lo algumas horas porque o início é muito chato! O livro demora para ser interessante e quando consegue já cansou um pouco o leitor mas mesmo assim tem um toque da genialidade de Stephen King em muitas partes.
Love - a história de Lisey é na verdade um relato da viúva de um famoso escritor chamado Scott que após 2 anos de sua morte ela tenta refazer sua vida que ao que tudo indica quando ela lembra não era nada legal ao lado do marido. Não que ele não a tratasse bem, mas por ser famoso e ela " apenas" a esposa dele, Lisey se sentia sempre em segundo plano!
Não sei se a história é baseada em alguma parte da vida de King já que também é passada no Maine.
Como um bom livro do mestre do terror que se preze há um mistério que foi deixado após a morte de Scott.
Tudo é muito confuso e mesmo a relação de Lisey com a irmã não fica muito clara, há muitas passagens de tempo o que pode confundir mais ainda o leitor que tem que prender a atenção para ligar os fatos, para lembrar do que foi dito lá atrás ou corre o risco de terminar o livro sem lembrar o porquê das coisas.
os personagens vão ganhando o leitor lá pela metade também, conhecemos uma Lisey extremamente forte! Claro que há a parte sobrenatural.
O nome do título - que sei que gera várias discórdias, afinal, porque não " amor" ?- refere-se ao amor que Lisey sente pelo marido.
Até onde reza a lenda, Stephen King quando se acidentou em 99 escreveu esse livro pensando em sua esposa, que teria muito trabalho para organizar as coisas dele deve ser por isso que o livro é dedicado a Tabby!
O tema título realmente é abordado de uma forma muito bonita, estranhamos o fato de ser King a fazer isso mas ainda assim sentimos o cheiro da boa escrita no ar quando não se deixa cair no piegas.
Contado sob a versão de Lisey - já que é ela quem narra o livro - temos ideia de como era o dia a dia do casal , a vida feliz, os traumas e até a maldição que ronda a família Landon.
Acho que o mistério sobrenatural deixou a desejar.
Mesmo assim é um livro bom, é King, e como sempre, merece ser lido.

© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por