COLUNA RAFFA FUSTAGNO - RESENHA DE DESTINO

03 julho 2012

Título Original: Matched
Título em português : Destino
Autora : Ally Condie
Editora : Suma 
Número de páginas : 238










Destino para mim foi uma grata surpresa. Primeiro porque mesmo um pouco cansada das sociedades distópicas ( e isso sempre ocorre comigo quando leio demais sobre um determinado tema) eu realmente gostei desse livro. Devo dizer que a narrativa é a mesma das demais sociedades distópicas mas nesse primeiro volume, a protagonista Cassia nos ganha com poucas páginas. Primeiro porque exatamente por ela ser controlada o  tempo todo e ter uma realidade diferente da nossa, ela é deliciosamente ingênua. Por um tempo cheguei a imaginar como seria ser ela, com 17 anos tendo vivido sobre controle por um governo que acredita que assim a vida é correta, ela finalmente chega a idade de conhecer seu par. Daí  o nome original em inglês: matched. Sim, o tal par , a combinação que de acordo com o governo será a pessoa certa para você casar e ter filhos perfeitos.
O bom é que nossa heroína ao mesmo tempo que vibra com a escolha do par ( seu melhor amigo Xander) também começa a indagar se aquilo que vive e que todos aceitam é realmente o certo.
Nada mais normal e previsível, presente em todos os livros do gênero quando ela descobre que há algo de podre no reino da Dinamarca e resolve pesquisar por ela mesma ou desafiar o que até então ela não questionava.
E tudo isso é muito bem descrito pela autora que nos emociona ( pelo menos eu chorei horrores lembrando do meu avô) quando sabemos que ninguém pode viver mais de 80 anos.
E a nossa protagonista tem que dizer adeus ao avô sem ele ter qualquer doença, apenas por ser velho.
Como não indagar que é injusto, como aceitar que alguém que amamos e que está presente em nossa vida desde que nascemos deve morrer mesmo estando sadio?Outro fator que a faz mudar e indagar as coisas é quando conhece a aberração ( como são chamados os que não podem ter pares, os que de certa forma e sem explicação um dia sumirão): Ky. De amigo a segundo pretendente na história é um pulo e a gente nem sabe pra quem torcer porque Xander e Ky são fofos.
Para completar a vida de todos eles é vigilada, eles carregam comprimidos que tem que tomar sem nem saber para que servem....e se vê no decorrer das história enfrentando o sistema que não a deixa fazer as próprias escolhas até porque mesmo não querendo correr riscos, ela sofre ao ver o pai preso por motivo que não vou contar aqui mas que é mais um motivo para ela se perguntar se é certo mesmo escolherem como ela deve levar a vida.
O segundo volume já saiu e já comecei a ler, porque livro bom é assim, tem que ter a continuação ao lado, senão morremos de curiosidade.


Raffa Fustagno


© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por