COLUNA RAFFA FUSTAGNO - RESENHA DE PERSUASÃO - JANE AUSTEN

04 dezembro 2011

Título no Brasil: Persuasão
Título original: Persuasion
Autora : Jane Austen
Tradução: Roberto Leal 
Editora : Martin Claret
Número de páginas: 229
ISBN:978-85-7232-795-4







Julgar Austen é sempre complicado, era outra época, ela é um mito e qualquer livro que possamos ler dela depois de uma primeira impressão maravilhosa  será sempre comparado com o primeiro que a pessoa leu e pelo qual com ele se apaixonou pela escritora.
Persuasão não é minha história predileta dela, a história de Anne Elliot e suas duas irmãs Elizabeth e Mary com seu pai viúvo Sr. Walter e a amiga senhora Lady Russel me irrita em alguns pontos mas devo levar em consideração sempre o ano que foi escrito.
Primeiro devo dizer que em boa parte dos livros odeio todas as irmãs das protagonistas de Austen, dessa vez não é diferente.
Mary a irmã que é casada com Charles , é um ser egoísta que se acha a pessoa mais infeliz do mundo e somente usa a irmã. A parte que ela deixa o filho doente com Anne dá vontade de entrar na história e dar uma sacudida em Anne para deixar de ser bobona.
Elizabeth é podre...ela se junta com o pai e só pensa em casar.
Claro que temos uma paixão avassaladora e proibida da época, Anne se apaixona por Wentworth mas o namoro não vai pra frente porque a "fofa"da Lady Russel que a persuade a não querer ficar com ele.
O que passa no restante do livro é uma coisa muito estranha...passam se 8 anos entre ele ter ido embora triste e ela ter ficado em casa solteirona... o pai dela que já não sabia controlar o dinheiro dele quando a mãe era viva, sem ela praticamente está falido e tem que alugar as casas que possui, em uma delas ficará o Capitão Wentworth, sim, o mesmo que ninguém gostava porque era pobretão dá a vol
ta por cima e aparece cheio de libras!
Sinceramente é muita falsidade... todos o tratam bem como se nada tivesse acontecido no trabalho, inclusive a Lady Mala...Anne sofre o livro inteiro de amor e com as duras palavras que são proferidas do capitão a seu respeito...referente a perda da beleza da juventude - aqui tenho que parar e reclamar que me incomoda profudamente ler um livro inteiro em que ter 28 anos é não ter casado é uma desgraça, com essa idade também já temos rugas (!!!) e o tempo é cruel! Aham...como assim? Graças a Deus existe Renew!
Eu estava na rua lendo o livro na parte em que começam a descrever a Sra. Smith uma viúva no fim da vida...afinal já está com 40 anos (!?) .Tive um momento WTF? São com a Sra Smith as melhores falas, ela sabe mais do que Anne ousou conhecer sobre seu primo que será herdeiro de seu pai o Sr. Elliot, um viúvo também, que entre uma visita e outra corteja Anne o tempo todo e deixa claro suas intenções com ela.
Depois da história contada pela Sra Smith a respeito do Sr. Elliot ( que sinceramente não achei nada demais essa grande revelação, ele agiu igual a família de Anne e a Sra Russel e também como Anne que abriu mão do grande amor !)ela não quer mais saber dele. Na verdade o tempo todo ela só quer saber do Capitão Wentworth e correr atrás dos 8 anos perdidos.
E ele parece odiá-la..até que lá pela página 208 tem a tal carta que faz tudo que estamos fazendo parecer micro e só falta um lindo fundo musical , se não fosse história de época podia jurar que a trilha sonora seria tipo Top Gun..."Take my breath away"!!!
Ali identifiquei Austen e foi o melhor capítulo! A frase que fecho para entender o como é intensa a paixão de Anne é essa que ela fala no último capítulo desse livro : "Se havia errado ao ceder a persuasão , lembre se que era uma persuasão exercida em nome da segurança, não do risco ".
© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por