COLUNA RAFFA FUSTAGNO - RESENHA DE INSACIÁVEL DE MEG CABOT

25 julho 2011

Título no Brasil : Insaciável
Título original : Insatiable
Editora no Brasil: Galera Record
Ano de lançamento nos EUA: 2010
Ano de lançamento no Brasil: 2011
Número de páginas: 502
Autora : Meg Cabot
ISBN 978-85-01-09134-5
Tradução de : Regiane Winarski




Primeiro para falar desse livro ( que sábado quem estava no I Encontro de Fãs Meg Cabot aqui no Rio de Janeiro já ouviu...) devo dizer que quando ele chegou em minha casa me assutou as 502 páginas que ele possui. Depois claro a capa é de um bom gosto incrível, parece um veludo e é linda! Mas o peso dele não ajudou muito com meu problema na coluna e o metrô insuportável aqui do  RJ sempre lotado. Mas vamos a história.
Sei que depois de tantas histórias de vampiros ( umas boas outras nem tanto) se deparar com mais um livro sobre o tema pode parecer " A hora do pesadelo parte 1000" mas calma vamos dar uma chance..afinal é um livro da sempre maravilhosa Meg Cabot.
Apelidei o carinhosamente de " Interminável", por não ter um fim e por ser um pouco lento a meu gosto para que as coisas aconteçam. A história da roteirista de novelas Meena Harper pode ser a de qualquer uma de nós, moradora de uma cidade grande ( New York), na casa dos 30 anos, solteira, com um emprego que gosta mas não ama e com um irmão desempregado em sua casa. Ela não é de uma beleza estonteante, descrita como uma moça normal de cabelos curtos cujo a rotina  noturna é levar um cão que tem nome de personagem marcante de Kiefer Sutherland ( Jack Bauer). para digamos assim, passear.  Que graça poderia ter isso? Bem, é aí que entra o já conhecido " fator Meg de qualidade", ela não é uma pessoa feliz porque tem um dom que mais parece uma praga, ela sabe quando as pessoas que conhece vão morrer, ela sabe exatamente quando e do que. Perfeito? Não para ela que passa a vida tentando evitar o que é inevitável :que as pessoas morram! Qualquer semelhança com Sookie Stackhouse não é mera coincidência, inclusive a própria personagem é citada no livro em tom de deboche pela melhor amiga dela: Leisha.
Capa original dos EUA
Para completar, obviamente que as pessoas desconfiam ( muito) dela e a acham uma louca, somente essa amiga e seu irmão sabem que é verdade o que ela prevê.
Como se não bastasse esse dom, Meena começa o livro não passando pelo seu melhor momento profissional pois quem menos trabalha na emissora vira sua chefe e lhe encomenda que a novela que escreve chamada Insaciável ( daí o nome do livro) comece a abordar os vampiros pois está perdendo audiência para a concorrente Luxúria ( para mim um deboche com a onda vampírica que iniciou com a saga  Twilight ) . Meena odeia vampiros, acha ridículo falar sobre eles...até que...a vida de mocinha não é fácil e ela conhece em circustância digamos assim, suspeitas, o professor romeno Lucien Antonesco, ele é na verdade um príncipe, que vive em um castelo e que anda com um sobretudo. Vampiro? Não, imaginem...Lucien se encanta com Meena e ela com ele, e daí para frente a história perde um pouco o gás, hora conta de Alaric Wulf ( o carinha que caçca vampiros e pertence a Guarda Palatina) e tem charme para dar e vender e vive atrás de moçoilas iludidas pelos vampiros em troca de ser doadora de sangue para eles em tempo integral ( gostei dessa parte!), horas volta para ação da personagem estranha mas amiga de Meena a Mary Lou e seu não menos estranho marido: Emil.
A gente sabe quem é vampiro na hora em que Meena descreve que daquela pessoa acha estranho mas ela não consegue ver o dia da morte ( afinal claro né bobinha mas eles já estão mortos...) e ela é um tiquinho lerda para se tocar disso.
Acho que faltou mais paixão em Lucien mas gostei das frases fortes do personagem falando " Você não vai se arrepender"....senti nesse final de capítulo lá no fundo da alma um gritinho Ricky Martin: " Weeeeeeeeeeeeeeepa!" rs
Mas aí vem a parte que gostamos...afinal Lucien vai da Romênia para NY para descobrir quem está desobedecendo suas ordens e matando as pessoas ( sim, ele que manda nos vampiros mundiais...afinal ele é filho de Conde Vladimir!).
O final é daqueles " cenas dos próximos capítulos" ...por isso que estranhei a quantidade de páginas desse primeiro livro muitos detalhes e um " vejo você no próximo livro" no final...acho que Meg andou lendo Tolkien...quem sabe?
Mas a ironia desse livro faz ser um dos melhores pontos nele, tem que estar bem antenada em conhecimentos gerais porque Meg faz menção a muitos programas , pessoas....que se não conhecemos perde o tempo da piada!
Estranhei a capa também porque o livro todo cita Meena como alguém de cabelos curtos e moça da capa tem cabelos longos.
Li em alguma resenha por aí que acharam que o fato de Meg citar que o vampiro irmão de Lucien vai abrir uma boate no Rio é sinal de que aqui só tem coisas ilícitas e tal..não vi dessa forma..achei que citou a cidade por ser uma das mais famosas...aliás vampiro dono de boate? Já vimos? ERIC ...er...nesse livro ele chama Dimitri!
Tive o grande prazer de estar com a tradutora desse livro Regiane Winarski em dois eventos sobre Meg Cabot no último mês e lendo o livro todo devo confessar que ela está de parabéns, em nenhum momento achei que ela pecou e que algo ficou sem nexo como já vi em livros anteriores traduzidos de Meg. Ela tembém explicou bem como faz o processo de tradução e acho que devido a isso e a seu profissionalismo, funcionou certinho com o jeito Meg de escrever!
Tenho que terminar  dizendo que a metáfora do dragão também fechou com chave de ouro...afinal as vezes é melhor não matá-lo ...porque no fundo nem queremos.
Mais um livro obrigatório de Meg Cabot para ter na estante e amar ou gostar mais ou menos, indiferente você não fica.
E para quem não estava no evento e não me ouviu falando...a Regiane contou que recebeu essa semana a continuação Overbite me para traduzir! Ou seja...daqui há pouquinho tem as tais cenas do próximo capítulo para todos nós ;)


 
© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por