COLUNA RAFFA FUSTAGNO - ANÁLISE DE ORGULHO E PRECONCEITO

19 julho 2011

Filme : Orgulho e preconceito
Título Original : Pride and prejudice
Baseado na obra de Jane Austen
Ano de lançamento: 2005
Tempo: 127 minutos
Gênero : Romance
Elenco : Keira Knightley, Matthew Macfadyen, Donald Sutherland, etc






SINOPSE : Em Orgulho e Preconceito Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet – Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) – foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Quando o sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem.


As irmãs BENNET

Quando você vai dormir as 3 horas da manhã tendo que levantar as seis com os olhos cheios d´ água significa que você não só amou esse filme como você também precisava dele. Não sei aonde estava com a cabeça quando demorei tanto para ver esse filme lançado em 2005.
Vamos a ele, todo mundo está cansado de saber que essa linda história de Jane Austen conta a história de uma moça chamada Elizabeth Bennet ( Keira Knightley - divina como sempre!) que não tem como suas quatro irmãs o desespero em casar-se. Mas sua insuportável mãe só pensa nisso e faz da vida das cinco um inferno...aliás diga-se de passagem também faz isso com a vida de seu marido o Sr. Bennet vivido maravilhosamente pelo ator Donald Sutherland!
Elizabeth não toca bem piano, não gosta de costurar e isso não a faz uma moça prendada, demonstra mais afeição por sua irmâ mais velha Jane do que pelas outras irmãs mais novas que ela.
Com a chegada na cidade do nada simpático Mr. Darcy acompanhando o pretendido por sua irmã Sr. Bingley, ela começa a querer juntar a irmã com o objeto de desejo. As cenas mostram bem que naquela época passar dos 25 e não ter se casado era uma vergonha, sua irmã Jane vai atrás do homem que ama mas não termina bem, ele vai embora da cidade sem pedí-la em casamento.
Nesse meio tempo o Sr. Collins que é primo delas e pastor pede Elizabeth em casamento, a cena que ela o rejeita é muito boa! Engraçada demais!
Claro que apesar de todo o desprezo que irá sentir pelo Mr. darcy ao descobrir que ele ajudou seu amigo a  não ficar com sua amada irmã, uma parte dela lhe desejará e aí começa a luta interna dela e dele para não se gostarem, obviamente que não dá certo!
Amei tudo nesse filme, chorei demais com a cena dos dois na chuva e não conto para não estragar! Chorei na conversa emocionada dela com o pai no final! Bati palmas de pé!
Em 1797 tudo era mais rico, as falas eram mais educadas, as pessoas faziam reverência umas as outras e andavam mais cobertas mas sempre existiu o preconceito em quem tinha dote  e quem não tinha!
O que é Judi Dench aquela atriz que é uma lenda viva do cinema fazendo a tia de Darcy que quer separar  o casal, ela é tão boa que quase me convenceu! rs
Veja esse filme com lencinhos de papel do lado porque as falas do Mr. Darcy são de enlouquecer! Lindas até dizer chega!
HAPPY END \o/

Você  termina querendo um Mr. Darcy só para você com aqueles profundos olhos verdes do ator que o faz : Matthew Macfadyen , com aquela roupa toda e cabelinho de mullet!
Só tenho uma dica: Vejam!









Quem foi Jane Austen?

Jane Austen nasceu em Steventon na Inglaterra no dia 16 de dezembro de 1775. Seu pai era reverendo e teve com sua mãe oito filhos sendo que somente Jane e sua irmã Cassandra do sexo feminino. Publicou durante sua vida poucos livros ( tendo publicado oficialmente somente 6 romances, sendo que 2 deles após sua morte).
Apesar de ter criado os mais belos personagens românticos da literatura mundial Jane nunca se casou e na troca de cartas com sua irmã Cassandra sempre falava de um mesmo amor ( que pode ser visto no  filme "Amor e inocência").
No dia 18 de julho de 1817 ( ontem completou aniversário de sua morte) Jane morre , suas últimas palavras foram "Não quero nada mais que a morte",  ela sofria da doença de Addison e morreu com apenas 41 anos, não deixando filhos e sua obra ficou nas mãos de sua irmã querida Cassandra.
O Livros Minha Terapia e todos nós que amamos leitura sabemos que Jane não só nos influenciou como também moldou os gostos de quase todos nossos ídolos literários, a linguagem de seus livros não tem data de validade e temos certeza que viverá para sempre seja em folhas ou on line.

© LIVROS MINHA TERAPIA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por